Do oriente

Chocaram-se de frente
Como carros na estrada
De quem a culpa?
Quem escondia a carta marcada?

Mortos de amor
Sangraram-se a dois
Quando o que havia por fazer
Era o resto, o nada

Desapareceram lentamente
Um no sonho do outro
Pra sempre, Pra sempre

Cada um, sua queixa
Ele, o kamikaze da razão
Ela, da emoção, a gueixa

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s