Ventre e átomos

enola-gay

Átomos bailavam
No ventre de Enola Gay
Até que a bomba atômica,
A flor nipônica,
E a onda supersônica
Dilaceraram o ar

Sandice em megatons
Derreteu tudo o que tocou
Trazendo más notícias
De que somos capazes
De nos destruir em segundos
Em nome de qualquer absurdo

Do ventre de Enola
Foram abortados sonhos de paz

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s