Madrugada

reflexao_da_madrugada

Outra madrugada me faz companhia
Insistente, ela não quis dormir
Preferiu esperar o sol chegar
Inerte, em pé, aqui do meu lado

Ouvi dela o que pude
Falei o que não queria
Escrevi o que talvez me mude
Sabendo que me emudeceria

Bebi um destilado péssimo
Enquanto do outro lado sóbrio de mim
Passeiam anjos, desejos e demônios
Que gostaria de expulsá-los a pontapés

É vida que segue
É acreditar desacreditando no Criador
É morrer na praia das verdades absolutas
Mentindo para aliviar a dor

Do vazio que sinto
Do vazio que minto
Do vazio que não atende
Do vazio que nunca me enche

2 comentários sobre “Madrugada

  1. Belo, cruel, doce, amargo, claro, contundente.

    Faça um livro, voce pode.

    beijo do tio.

    *Rubens Sarmento * *(31) 8629-1865*

    *www.rubensmarcenaria.blogspot.com*

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s