Arroz da Dona Dalete

Eu tô solto
Arroz da minha mãe
Tô correndo porto
Certo de não mais ancorar

Nesse meu mar
Codinome liberdade azul
Sempre perto dessa sua luz
Meu segredo singular

Ando encontrando sempre
zilhões de bons motivos
Pra “orgasmalhar” por aí
E ser feliz

Eu tô solto
Bit pra lá de tera
Giga de cetim
Rápido vôo quase luz

Um leão pra matar por dia
Sem me despentear
Encaro a vida
Porque viver é meu ar

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s